quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Caminhante



Enquanto caminho vou-me perdendo,
já não sei se caminho, se sou o próprio caminho.

Onde acaba um e começa o outro deixou de ser evidente.
Por isso continuo a caminhar e deixo de me interrogar.

A sensação dos limites quebrados, 
que deixam de balizar o eu.

E no entanto quando achava que ficaria perdido,
se não fosse eu,
aconteceu o contrário.

O eu que julgava ser é uma pequeníssima ideia daquilo que sou.
Pelas brumas do ser vou soltando ideias de mim.

Agora, enquanto caminho também sou o próprio caminho.

Sem comentários:

Publicar um comentário