quarta-feira, 30 de março de 2016

#69 Liberdade

Uma dor aguda emergiu no seu corpo, normalmente teria de se fechar no seu quarto e desaparecer do mundo, até que a dor a abandonasse. Nada, nem ninguém a podia ajudar. Até agora. Ela havia tomado uma decisão de se libertar de tal prisão, o seu limite havia sido atingido. Estava farta de se submeter ao poder da dor. Agora escolhia enfrentar a dor, ver até onde chegava o seu limite. Permitiu-se observar a dor, de que modo se manifestava no seu corpo, que intensidade tomava essa dor. Conseguiu descolar da dor, ela estava lá, mas não a dominava. Liberdade.

Sem comentários:

Publicar um comentário